domingo, 12 de agosto de 2007

Pesquisa de Mercado

Hoje estive pesquisando alguns lugares para, talvez, utilizar e/ou fazer publicidade do blog. Essa busca me fez perceber o quão modesta é a minha iniciativa. Devo ser humilde ao trabalhar com ela, face a propostas tão grandiosas quanto as encontradas em:

  • A Bíblia como literatura: Apesar de ser a visão de um ateu, serve bastante ao meu propósito na medida que me indica o melhor texto bíblico para eu trabalhar aqui no Bibliogando. Já tinha recebido elogios do Alex (semana passada) e da Dani (hoje) sobre a Bíblia de Jerusalém, mas foi bom encontrar outros que a recomendem.
  • Petrus Eni, em português, Pedro está aqui: Não tanto pela possibilidade de buscar somente em sites católicos – o que particularmente, acho um tanto restritivo – mas principalmente pela facilidade de busca na Bíblia. Pela experiência que eu adquiri escrevendo fanfics coletivas ambientadas no universo criado por J.K.Rooling para Harry Potter (nos blogs Magic Spell, Magic Past e Accio Cérebro), tal ferramenta pode ser bastante útil;
  • Leituras do dia no site: Além de fornecer uma ferramenta que me permite incluir a liturgia diária em sites (que serviria para facilitar o acesso de quem desejar verificar com base no que eu escreverei a partir de dezembro de 2007, mas não consegui compatibilizar com o blog), o site Bíblia Católica tem vários artigos sobre a história da igreja e a Bíblia Sagrada;
  • Página Bíblica do Prof. Airton: Outro lugar com diversos artigos. Algo a anos-luz da proposta deste blog, mas sem dúvida o material divulgado pelo Professor de Antigo Testamento/Bíblia Hebraica na Faculdade de Teologia Dom Miele do CEAR,Airton José da Silva, podem ser bastante úteis, como o artigo baseado no texto Notas sobre alguns aspectos da leitura da Bíblia no Brasil hoje.

Acho que chegou o momento, dado a relevância dos sites apresentados, de explicar um pouco os propósitos deste blog. É algo bem modesto. A idéia é, simplesmente, confirmar uma afirmação que eu ouvi anos atrás de um padre que, seguindo a liturgia diária era possível ler toda a bíblia em cerca de três anos.

Neste ano, surgiu-se a idéia: E se, para cada dia eu escrevesse algo baseado na liturgia? Algo parecido com as redações propostas em concursos públicos pela Fundação Carlos Chagas. Nas provas de redação da FFC, esta banca apresenta três textos e pede que o candidato desenvolva um texto defendendo ou criticando a idéia comum aos textos propostos.

Então, é isso que o Bibliogando é: uma experiência para

  1. Confirmar se em três anos se lê mesmo toda a Sagrada Escritura;
  2. Exercitar a minha disciplina, pois idéia inicial produzir textos diários pode ser um tanto quanto desafiadora, uma vez que a minha formação profissional é na área de exatas;
  3. Exercitar a minha capacidade de análise, opinião e posicionamento com relação a temas variados. A sociedade nos treina para não questionar e eu não tenho visto nada de muito proveitoso nessa estratégia. Para mim eu quero algo diferente;
  4. Exercitar a minha capacidade de associação e identificação de padrões. Identificar um assunto comum aos textos da liturgia diária e associar este tema com alguma experiência contemporânea pode me ser útil também na minha vida profissional, pois um estatístico às vezes também precisa identificar padrões e associações embora isso seja feito com a ajuda dos números!
  5. Exercitar a minha escrita. Útil tanto para a vida profissional quanto para uma possível mudança de carreira. Na verdade, convém a qualquer um escrever bem e, para falar a verdade, acho que funciono melhor por escrito do que falando.

Bom, acho que vou manter uma periodicidade semanal para a secção "Bastidores" do Bibliogando até estréia formal do projeto. Isso vai me obrigar a não abandonar o layout do blog e o planejamento do projeto. Pelo menos eu espero!

2 comentários:

Alex Castro disse...

pq tudo isso? eu li em dois meses. e olha que li estudando... a cada livro que eu lia, eu ainda lia uns dois ou tres capitulos academicos sobre o livro pra situar, e etc...

Thera Fajyn disse...

Alex: Eu não duvido que seja possível ler a Bíblia num prazo menor do que os três anos nos quais a Igreja Católica separou sob o rótulo de "Liturgia Diária". A proposta não é ler em um prazo x ou y, mas utilizar o tema em comum nos trechos recomendados para cada dia como mote para os textos.